02/12/2008

A CAMPANHA.

O Brieffing chegou com pouco mais de uma página. Nem formatos tinha. Só a demanda rotineira de todo ano. Círio. Nem precisava descrever a festa. Talvez alguma coisa, informação do cliente, mas só. Brieffing de mentira.
Círio é foda. Todo ano tem. E é sempre a mesma coisa. Fotos dramáticas, textos dramáticos, poesias mal escritas. Círio é tudo igual. Já ía escrevendo as palavras que não ia nem pensar em usar. Fé, gente, mar, rio, corda, suor, lágrimas, et. Palavra pra cacete.
Tinha de pensar em um conceito que matasse a pau. Banco de imagens pra fervilhar as idéias. Muitas imagens. Vêr-o-Peso, rio, ribeirinhos, a Santa, pés sujos em preto e branco, em sépia. De tudo que era jeito. Crianças, criança é um saco. Círio é muito bom pra criar. Quanto mais tempo passa mais fica difícil e o desafio melhora. Círio é maravilhoso.
O atendimento passa meio-dia na mesa e avisa que chegou um CD com um banco de imagens do cliente. Só fotos porrada. Alta-resolução. Preguiça bateu. Meio-dia e me chega um CD.
Liguei pro restaurante vagabundo de bairro onde o prato "executivo" custa seis reais. Vou comer mal e morrer de sono. Mas o Círio não espera. Não posso adiar a festa pra Dezembro. Tem que sair uma campanha. Uma campanha maravilhosa. Porrada como eu sempre digo. Porrada.
O outro atendimento chegou da rua com um painel de fachada pra outro cliente. Outra demanda. Tenho que me desligar. Parar o cérebro. Esquecer o Círio e me dedicar pela metade ao outro pedido. Salta um painel no capricho aí pro cliente que não vai fazer campanha pro Círio. Assim não dá. Mas não posso fazer nada. trabalho é trabalho.
A idéia do painel não vem. Levanto e vou até a copa tomar um café. A chícara eu mesmo trouxe de casa. Presente de duas amigas. O café está frio. Tenho que fazer mais. De repente vem a idéia fazendo outra coisa né? Vou fazer o café. São duas e meia da tarde e eu esqueci de almoçar de novo. Parar de fumar essa semana não está me fazendo bem. Almoço na sala de reuniões. Sozinho. Apenas eu e o Office-Boy na agência. Almoço, lavo os pratos e volto aos partos. Ao parto. Sento a minha mesa e um email diz que preciso fechar dois anúncios para os dois jornais. Dois anúncios de meia página em dois formatos diferentes. Fecho os dois anúncios. A mídia a essa hora já chegou. Me mandou os formatos novos do primeiro jornal. Tenho que fechar de novo. Penso no banco de imagens do cliente do Círio. Lá on CD vai estar minha idéia. Já sei como vai ser a campanha. Euforía. Preciso me desfazer de todas as demandas. O Círio vai ser porrada.
Mando os dois anúncio para a Mídia que já encaminha. Círio agora.
Porra nenhuma. Tenho que voltar pro painel. Painel de fachada ninguém merece. Sou um Deus da Propaganda. Devia estar terminando o Círio.
Já são oito da noite. Acabou o dia. E agora? Vou pra casa? Ligo pra namorada ou fico e continuo matando o painél? Vou matar esse painél em meia hora. São onze da noite e finalmente eu termino o painél. Mandei pro Diretor de Criação. Círio agora só amanhã. Mas o CD com as imagens vão na mochila comigo pra casa. Lá eu acho a imagem que eu quero. Antes da meia-noite já devo ter as imagens pra campanha. Três fotos que eu tenho na cabeça. A campanha dos deuses. Duas e meia da manhã e nada. não achei as fotos. Tenho que dormir. Não posso me atrasar no dia seguinte. Mentira. Eu posso sim. O problema é que eu não quero me atrasar.
Dia seguinte chego na agência com todo o pique pra achar as fotos na marra mesmo em algum banco de imagens. Impossível. Volto pro CD. Chamo o atendimento no msn e no skipe. Ela vem ao auxílio. O Atendimento é muito bom. Bom mesmo. Caso raro.
Ela me avisa que além desse CD ainda há mais dois ou três CDs de banco de imagens do cliente. Vou atrás e acho mais três. De cara encontro uma foto feita pra ocasião. Não que ela tenha sido feita pra campanha. Nenhuma delas foi feita para o Círio. Mas quando coloco os olhos me deixo enfeitiçar pela beleza da foto. Eu vejo tudo muito claro. O conceito vai ficar maravilhoso. Perfeito. Mas não me deixo enganar. Vou atrás de mais. Quero mais. Acho mais cinco fotos de acabar com o coração de qualquer publicitário. O Círio nunca viu uma campanha dessas. Vou ser lembrado. O Círio está nascendo. Nunca teve igual.
O Diretor de Criação chegou e confirmou o que eu já sabia. A campanha matou a pau. Vai ser sucesso. Todos na agência amaram. Mídia, Produção, Atendimentos e financeiro. Unanimidade.
Agora as alterações. Bobagem. Coisa pouca. Daqui a dois dias vamos apresentar pro cliente. Não tem erro. Campanha na rua.
Dois dias depois chega uma alteração pra fazer. A redação não agradou na primeira apresentação. Tem que adicionar a palavra Fé. Quem diria. Eu tentando fugir desses clichês e o cliente no caminho oposto ao meu. Cliente é cliente. Todo mundo é publicitário. Menos eu.
Alteração feita. Encaminhada a campanha para a martelada final o atendimento entra na sala de cabeça baixa avisando que estamos participando de uma espécie de licitação onde uma outra agência apresentou uma campanha de Círio também. Não me preocupo. Acredito muito na nossa campanha mesmo não sabendo do conceito criado pela outra agência. Não tem como ter a estrutura emocional do nosso conceito. O painel voltou. O Diretor de Criação pediu algumas alterações, mas elogiou a peça. Ficou show de bola como ele mesmo diz.
Dois dias a mais e as notícias não são boas. O cliente vem pessoalmente à agência pra dizer se ganhamos a "licitação" ou não. Capuccino pronto. Doces e bolo. Cliente atrasado chega quase na hora do almoço. Não come nada que foi comprado. Entram na sala de reunião o Diretor de Criação e o sócio juntamente com o atendimento e o cliente.
Meia hora de reunião e saem todos sorrindo da sala. Comentários sobre a campanha ser muito boa. Muito boa mesmo. Parabéns ao Diretor de Criação e ao outro sócio. Todos se despedem na porta e eu espero ancioso pra saber o que eu já sei de forma oficial. O Diretor de Criação e o outro sócio me olham rindo. Ficou pro ano que vem.
Sento amarelo na minha mesa e abro um email novo. Painél aprovado.

8 comentários:

rrebello disse...

Perdão?

Por qual motivo o senhor toma café frio aí na agência? Sendo que a máquina de café daí é automática, moe o grão e faz um bom café espresso? ;o)

Quanto ao cliente... acabou no extinto Propaganda Podre por escolher a outra agência. ;o) ;o) ;o)

João Paulo Guimarães disse...

hehehehehe...tinha que comentar em cima do comentário. Tinha esquecido do detalhe do Propaganda Podre. hehehehehe. Mas o painél foi aprovado.

Luís Azevedo disse...

Fale João Paulo,

Bacana o texto!!!!
E parabens pelo painél aprovado!!!rsrsrsrrsrs

Ivan Santos Jr disse...

Muito legal o texto!
ah por isso que acompanho teu blog! sou novo nesse universo de blog as vezes não sei o que postar, se escrevo se coloco uma noticia interessante... ou se continuo a procurar um emprego, estou naquele velho problema de fica se formar e fica com o diploma na mão!! enquanto não consigo esse emprego tão desejado fico aqui a blogar... formado em produção publicitária vou fazendo a minha propaganda rsrsrs

João Paulo Guimarães disse...

Pode continuar visitando meu velho. E pode fazer sua propaganda também. Eu não sou o OB, mas se souber de alguma coisa mando logo notícias.

Luluzinha disse...

seu tratante, nem vai me visitar, nem me apresenta pra galera blogueira e eu fico lá, solitária, escrevendo só pro meu prazer, só pro meu prazeeeeeerrr.

ei tô com muuuuuuuita saudade de ti e tu nem me contaste dessa campanha. qua foi heim???

bjs

Larissa Rabelo disse...

É Amigo...a mesma sensação do filme do King Kong sem o gorila. lembra? Pois é...

Priscila Monique disse...

CA-RA-LHO!!!!
como eu não havia lido esse texto antes?? que pecado! que Sacrilégio! mew! vc é demais.. amei o texto nossa mt mt mt mesmo!! parabens! olha agora deu ate vontadde de te conhecer!!

bjaummmm